O Windows fornece um amplo conjunto de tecnologias para os consumidores experimentarem vídeos e áudios, e para os desenvolvedores acessarem essas tecnologias por meio de APIs avançadas. Esta postagem entra em detalhes sobre esses aspectos da plataforma de mídia do Windows, que tem sido significativamente aperfeiçoada para aplicativos estilo Metro e aplicativos de desktop. O cenário de reprodução de mídia mudou significativamente desde o lançamento do Windows 7 com um foco cada vez maior em transmissão e a vontade dos proprietários de conteúdo de oferecer reprodução de seu conteúdo em um conjunto mais amplo de dispositivos, tudo isso ao mesmo tempo em que reduz dramaticamente a energia da bateria necessária para reprodução. Com essas novas funcionalidades, que também fazem parte do Windows 8 e do Windows RT, trabalhamos para fornecer suporte líder no mercado para consumidores e desenvolvedores. Esta postagem foi criada por Scott Manchester, gerente de programas de grupo de nossa equipe de Plataforma de mídia e tecnologias. – Steven


Aproveitar mídias avançadas (assistindo um filme, conversando por vídeo ou reproduzindo música), é uma das coisas mais comuns e agradáveis que fazemos em nossos PCs atualmente. Eu gostaria de falar um pouco sobre o trabalho que fizemos no Windows 8 para possibilitar uma variedade abundante de atividades de multimídia, e para aumentar essas funcionalidades para desenvolvedores de terceiros por meio de uma plataforma de mídia extensível.

Tínhamos três metas em mente quando projetamos a plataforma de mídia do Windows 8.

  1. Maximizar o desempenho. Queríamos que a reprodução de mídia fosse rápida e com grande capacidade de resposta, ativando a energia total do hardware e, ao mesmo tempo, maximizando a vida útil da bateria em cada PC.
  2. Simplificar o desenvolvimento e a extensibilidade. Queríamos fornecer uma plataforma que pudesse ser facilmente estendida e personalizada para um determinado aplicativo, criando condições para aplicativos de mídia personalizados inovadores no Windows.
  3. Permitir uma variedade de cenários. Uma plataforma extensiva de alto desempenho e eficiência pode, então, viabilizar uma grande variedade de músicas, vídeos, comunicações e outros aplicativos multimídia.

Com essas três metas em mente, reimaginamos a experiência de mídia na plataforma do Windows.

Experiências de mídia mais rápidas e com maior capacidade de resposta

O desempenho é um aspecto essencial de qualquer experiência do usuário, mas é fundamental principalmente em cenários multimídia. Os vídeos precisam ser reproduzidos em tempo real, comunicações por voz precisam parecer instantâneas e todas essas tarefas precisam minimizar o gasto da bateria.

Nós analisamos o desempenho pelo tempo, recursos de computação e memória que uma determinada tarefa ocupa no sistema. Nosso objetivo era minimizar todas essas metas. Nossas metas de desempenho de mídia tinham foco em reprodução de áudio e vídeo, transcodificação, codificação e captura.

Decodificação de vídeo eficiente

Para obter melhor vida útil de bateria ou apenas reduzir o consumo de energia em todos os cenários de mídia, continuamos trabalhando com parceiros no setor de chips de silicone para possibilitar experiências novas e mais rápidas. Com o Windows 8 executado em um PC certificado para Windows 8, a decodificação de vídeos para formatos comuns de mídia será descarregada em um sub-sistema de hardware dedicado para mídias. Isso permite a diminuição significativa de uso da CPU, resultando em uma reprodução de vídeo mais suave e uma vida útil de bateria mais longa, já que o hardware de mídia dedicada é mais eficiente do que a CPU no que se trata de decodificação de mídia. Dessa forma, todos os cenários que exigem decodificação de vídeo são aprimorados, inclusive cenários de reprodução, transcodificação, codificação e captura.

A figura abaixo mostra uma comparação da utilização média de CPU entre o Windows 7 e o Windows 8 durante a reprodução de clipes musicais e visualização de captura da webcam de 720p VC1/H.264.

Uso de CPU comparado entre Windows 7 e Windows 8. Decodificação WMV no Windows 7: 32% no Windows 8: 14%; decodificação H.264 no Windows 7: 30% no Windows 8: 13%; visualização de captura no Windows 7: 27% no Windows 8: 8%.

Além do descarregamento de vídeo, os aperfeiçoamentos à captura de webcam são possibilitados pela migração de uma API de captura do DirectShow para uma API de captura básica de mídia do Windows 8 nova e muito mais otimizada. Também aperfeiçoamos os codificadores de software para conteúdo H.264 e VC-1 para que a codificação usando a CPU (quando fizer sentido) seja rápida e com consumo eficiente de energia.

Maximização da vida útil da bateria durante a reprodução de áudio

Outro exemplo de melhorias no desempenho de mídia que fizemos no Windows 8 é a maximização da vida útil da bateria (ou apenas a redução do consumo de energia) durante a reprodução de áudio. Além de permitir o descarregamento do pipeline de áudio (parecido com o descarregamento de vídeo descrito acima), aperfeiçoamos radicalmente o pipeline de reprodução de áudio para que ele seja mais eficiente durante a reprodução de criação contínua. Agrupando grandes volumes de dados de áudio e processando esse volume de uma única vez, a CPU pode ficar suspensa por 100 vezes mais tempo (mais de 1 segundo versus 10 ms), o que pode resultar no aumento significativo da vida útil da bateria durante a reprodução de áudio.

Claro, essa abordagem não é perfeita para todos os cenários, já que o armazenamento em buffer cada vez maior acarreta em atrasos adicionais. Na seção de comunicações abaixo, discutiremos essas compensações e como a pilha de mídia se adapta para se otimizar de acordo com os cenários

Os descarregamentos de áudio e vídeo são apenas dois exemplos de maneiras em que otimizamos a pilha de mídia no Windows 8 para fornecer utilização de CPU reduzida, utilização de memória reduzida e melhor vida útil de bateria para aplicativos de desktop e estilo Metro.

Suporte a um conjunto sofisticado de cenários de mídia

O desempenho é um aspecto fundamental da plataforma, mas é apenas tão importante quanto os recursos que se destacam por causa dele. No Windows 8, esses recursos incluem suporte a formatos modernos de vídeo, fluxos de comunicação de baixa latência e uma conexão contínua a dispositivos de mídia externos.

Compensações da plataforma

Um dos desafios do desenvolvimento de uma plataforma única de mídia que funcione em cenários diferentes são suas metas competitivas. Por exemplo, os cenários de comunicação exigem baixa latência e decodificação e reprodução de áudio/vídeo cuja qualidade e desempenho se beneficiam do armazenamento em buffer, que resulta em uma latência mais alta. Nas próximas seções, falaremos sobre esses desafios no contexto de alguns dos cenários que trabalhamos para habilitar no Windows 8, inclusive:

  • Comunicações (por exemplo: Skype, Lync etc.)
  • Reprodução de vídeo e suporte a formatos modernos
  • Orientação automática de vídeos
  • Reprodução de conteúdo premium
  • Transições simples de áudio
  • Experiência de mídia em telas adicionais
  • Funcionalidades de mídia emergentes

Simplificação do desenvolvimento e da extensibilidade

Um tema comum entre essas experiências é a extensibilidade que incorporamos na plataforma multimídia. Como os usuários têm uma variedade ampla de casos de uso, formatos de mídia, codecs, mecanismos de proteção e processamento, fornecemos aos nossos desenvolvedores a capacidade de personalizar suas ofertas para criar ótimos aplicativos e sites no Windows.

Durante a discussão de alguns cenários de mídia nas próximas seções, também discutiremos os esforços que fizemos para tornar esses cenários extensíveis por desenvolvedores e parceiros independentes. Vamos discutir com mais detalhes os cenários-alvo do Windows 8.

Comunicações

A comunicação em tempo real em PCs, principalmente em dispositivos móveis, tem crescido muito na última década. Os usuários do Windows estão usando serviços como Skype e Lync para criar vários bilhões de minutos em chamadas de vídeo e voz por dia. TeleGeography estima que as chamadas internacionais de Skype para Skype (inclusive chamadas de vídeo) cresceram 48% em 2011, para 145 bilhões de minutos. Fizemos um investimento significativo no aperfeiçoamento da experiência de chamadas de vídeo e áudio em todos os PCs com Windows 8. Para conquistar essa meta, concentramos nossos esforços em duas áreas:

  • Ativação de captura e renderização de mídia de baixa latência integrada. A baixa latência é essencial para aplicativos de comunicação, portanto, o Windows oferece suporte à captura e à reprodução de mídia de baixa latência no sistema operacional.
  • Suporte a câmeras de alta definição para aprimorar a experiência de comunicação por vídeo. Os vídeos de alta definição tornam a experiência de comunicação mais real e agradável, portanto, o Windows oferece suporte a dispositivos de câmera de alta definição.

Habilitação da baixa latência

Quando você se comunica com outra pessoa, espera resposta praticamente instantâneas. Por isso, os sistemas de comunicação normalmente tentam minimizar o atraso diário (também conhecido como latência). Ao projetar sistemas de áudio e vídeo para reprodução, o armazenamento em buffer é usado frequentemente tanto como proteção contra falhas processando picos ou tráfego de rede quanto para reduzir o consumo de energia. No entanto, esse armazenamento em buffer introduz um atraso em áudio e vídeo, que é entendido como latência pelo público. Ao criar o Windows 8, desenvolvemos a plataforma de mídia para oferecer suporte a cenários otimizados para reprodução e comunicação. A infraestrutura de mídia pode alternar entre um modo de reprodução (alto armazenamento em buffer, mais tolerância a condições variáveis) e um modo otimizado para comunicações (pouco atraso).

De acordo com o padrão TIA/EIA 920, a latência de áudio unidirecional que pode ser atribuída apenas ao pipeline de processamento de mídia não pode exceder 100 ms para a obtenção de uma experiência de comunicação em tempo real utilizável. Com essa meta em mente, desenvolvemos um ambiente de teste para analisar a latência diária do pipeline, mostrada no diagrama a seguir:

Ilustração da latência entre emissor e destinatário. Inclui a latência da câmera no dispositivo de captura; a latência no pipeline de captura, inclusive a fonte da captura, o codificador e o coletor da rede; a latência no pipeline de reprodução, inclusive a fonte de rede, o decodificador, o processador e o renderizador de vídeo; e a latência do dispositivo de renderização na exibição ou no alto-falante de áudio.

Há muitos componentes que precisam ser otimizados para obtenção de baixa latência

No caso da comunicação por vídeo, a latência do pipeline ponto a ponto ou “da lente à tela” é analisada como o atraso levado por um quadro de vídeo para ser capturado pelo dispositivo de câmera e, depois, codificado para um formato de vídeo suportado, transmitido nas interfaces de loopback na rede, decodificado e, finalmente, renderizado pela tela.

Observando a figura abaixo, você pode ver o resultado obtido da captura e renderização de áudio PCM quando o pipeline de mídia está no modo de baixa latência. O primeiro conjunto de picos corresponde às palavras originalmente faladas no transmissor e o segundo conjunto mostra essas palavras no destinatário. O atraso entre os dois é de 65 ms, bem abaixo da meta de 100 ms.

O gráfico mostra o atraso de 65 milissegundos entre o emissor e o destinatário da transmissão de áudio

Latência do pipeline ponto a ponto do áudio PCM: Modo de baixa latência

O próximo gráfico mostra uma comparação entre a latência do pipeline do modo otimizado para reprodução e comunicação quando um quadro de vídeo é capturado, codificado (no formato H.264), transmitido, decodificado e, depois, exibido em várias resoluções. A meta de 145 ms de latência geral (como estipulado pelo TIA/EIA 920 para chamadas de vídeo em tempo real utilizáveis) é mostrada pela linha verde no gráfico.

Comparação mostrada para VGA, SVGA, 720p e 1080p. Em todos os casos, o modo de reprodução é superior a 500 ms, mas no modo de baixa latência ele se aproxima de 100 ms, abaixo da meta de 145 ms.

Os quadros de vídeo são capturados a uma taxa de 30 quadros por segundo e codificados em H.264

No modo de reprodução, a latência média do pipeline é de aproximadamente 575 ms. O atraso é necessário para uma experiência de reprodução suave durante a exibição do vídeo, mas é inaceitável para uma comunicação de vídeo em tempo real. No modo de baixa latência, por outro lado, a latência analisada fica abaixo da meta-alvo de cada uma das resoluções de vídeo analisada.

Suporte a chamadas de vídeo de alta definição

Outro exemplo dos nossos esforços para melhorar a comunicação nos PCs com Windows 8 é o suporte a câmeras de alta definição do sistema operacional. Novos drivers de classe funcionarão de forma transparente com aplicativos para fornecer suporte para recursos de vídeo em alta definição. Além disso, toda a aceleração de hardware para decodificação de vídeo discutida anteriormente será utilizada nos cenários de comunicação.

O Windows 8 oferecerá uma experiência de comunicação de mídia consistente, de alta qualidade, acelerada para hardware e com consumo eficiente de energia em PCs projetados para uso com Windows 8. Fizemos investimentos significativos na plataforma de mídia para aperfeiçoar a latência de pipeline e com suporte adicional para câmeras H.264, os usuários poderão se comunicar com amigos e familiares por meio de vídeos de alta definição e fidelidade.

Suporte a vídeos e áudio para aplicativos estilo Metro

Nossa principal meta do suporte ao formato de mídia original para aplicativos estilo Metro era garantir os usuários e desenvolvedores de aplicativos pudessem contar com uma experiência de reprodução consistentemente ótima em uma ampla variedade de formatos de PC, com formatos modernos usados em cenários populares, como:

  • Entretenimento baseado em HTML5 na web
  • Filmes domésticos capturados com o uso de smartphones populares, câmeras compactas ou câmeras AVC-HD
  • Transmissão de músicas, filmes e programas de TV de serviços populares

As tabelas abaixo mostram os formatos de áudio de vídeo que oferecem suporte integrado para aplicativos estilo Metro. Os formatos recomendados para uso com aplicativos estilo Metro são uma reflexão de parcerias avançadas com fabricantes de hardware para aceleração previsível de hardware em formatos de PC e desempenho no cenário ponto a ponto previsível além da reprodução, como captura, transmissão e transcodificação.

Tabela de arquivos de mídia e formatos de fluxo

O Windows 8 oferece suporte excelente a MPEG-4, normalmente composto de vídeos H.264 e áudio AAC. Vários codecs populares, inclusive Divx e Xvid, implementam o padrão MPEG-4 Parte 2, portanto, muitos desses arquivos são reproduzidos muito bem nos aplicativos estilo Metro. O mesmo acontece com arquivos MOV modernos, que são baseados no padrão MPEG-4 Parte 12, como os vídeos capturados em dispositivos iOS. As resoluções MPEG-4 e 2K/4K fragmentadas agora são possíveis. Já falamos sobre a reprodução MPEG-2 e de DVD, que está disponível no Windows 8 Media Center.

Durante o desenvolvimento do Windows 7, falamos um pouco sobre o suporte ao CODEC originalmente no Windows e os formatos disponíveis por meio da extensibilidade. Desde então, ambientes criados com base em CODECs têm sido alternados de forma consistente para um conjunto menor de formatos bem definidos e com suporte amplo, principalmente o h.264 para vídeos. Devido a fatores como propriedade intelectual e suporte a hardware, isso faz muito sentido. Até mesmo navegadores estão fazendo essa transição com HTML5. Mas também reconhecemos que alguns indivíduos têm formatos de preferência por motivos variados e queríamos garantir que os desenvolvedores de aplicativos do Windows 8 pudessem optar por usar os formatos de sua preferência. Formatos populares entre a comunidade de entusiastas ou desenvolvedores específicos, como FLAC, MKV e OGG, podem ter seus próprios CODECs empacotados como parte de um aplicativo estilo Metro, já que a plataforma de mídia do Windows 8 é altamente extensível.

Orientação automática de vídeos

Com a proliferação da gravação em vídeo de câmeras tradicionais, smartphones e tablets, os usuários podem capturar vídeos enquanto seu dispositivo estiver no formato retrato ou paisagem: não há mais um "lado certo para cima" graças às interfaces baseadas em toque. Muitos de nós já passaram pela frustração de gravar um vídeo e perceber que a câmera estava de lado ou de cabeça para baixo só depois de visualizar no PC. Como o padrão de verificação de vídeo é fixo, os vídeos não podem ser orientados para a forma certa quando visualizados.

Para resolver esse problema, as câmeras estão começando a criar metadados de orientação em formatos de arquivos populares, como MP4 e ASF, ao salvar vídeos gravados no armazenamento.

A imagem aparece de lado sem o suporte a metadados, mas é exibida corretamente com suporte a metadados

Para garantir uma experiência de visualização excelente de vídeos pessoais em PCs do Windows, fizemos as seguintes melhorias a fim de resolver esse problema:

  • Agora os metadados de orientação recebem suporte em vídeos MP4 e ASF (VC-1, WMV).
  • Vídeos com metadados de orientação são girados automaticamente durante a reprodução.
  • A miniatura de um vídeo com metadados de orientação é girada automaticamente.
  • Os aplicativos estilo Metro com funcionalidades de captura de vídeo podem ler ou criar metadados de orientação facilmente.

Conteúdo premium

Outra área em que investimos bastante para o Windows 8 é a permissão da reprodução contínua de conteúdo premium. Embora a maioria do conteúdo de vídeo consumido inicialmente na Internet tenha sido gerada pelo usuário, a grande parte do crescimento no espaço de vídeos na Internet agora pode ser atribuída ao “conteúdo premium”, que inclui compras de filmes online por meio da transmissão de vídeos sob demanda, além das ofertas de TV com suporte de publicidade. De acordo com a IHS Screen Digest, 3,4 bilhões de filmes pagos serão transmitidos online nos EUA em 2012, mais do dobro do número de filmes assistido em 2011, e mais de um bilhão de vídeos que foram consumidos por DVD e Blu-Ray combinados.

O conteúdo premium de vídeo apresenta muitos dos mesmos requisitos de qualquer outro conteúdo de vídeo, mas também exige dois recursos substanciais da plataforma para fornecer a melhor experiência: transmissão de faixa de bits e proteção de conteúdo adaptáveis.

Transmissão de faixa de bits adaptável

A transmissão de faixa de bits adaptável fornece uma experiência de reprodução de vídeo mais suave e com maior capacidade de resposta permitindo que o PC se adapte à faixa de bits mais apropriada sob condições de utilização de recursos e rede variáveis. Como resultado, os tempos de inicialização e busca podem ser aprimorados significativamente, já que os primeiros quadros podem ser fornecidos a uma faixa de bits inferior para reduzir o tempo de armazenamento em buffer e aumentar a capacidade de resposta. Se as condições de rede ou do dispositivo forem alteradas, o PC pode negociar uma faixa de bits superior ou inferior para minimizar o armazenamento em buffer ou aumentar a qualidade de vídeo.

Por meio da extensibilidade da plataforma Media Foundation no Windows 8, os aplicativos podem ter fontes de mídia personalizadas e fontes de mídia de faixa de bits adaptáveis para oferecer suporte a novos formatos. Fontes de mídia personalizadas e protocolos de transmissão também podem aproveitar o descarregamento de hardware e a proteção de conteúdo.

A equipe Windows Azure Media Services está usando nosso modelo de extensibilidade para criar o Smooth Streaming Client SDK para aplicativos estilo Metro. Smooth Streaming é a iniciativa da Microsoft para fornecer conteúdo de várias faixas de bit e alta qualidade e habilitar Video-on-demand, Live, Linear TV e Download-and-Play.

Proteção de conteúdo

A maioria dos serviços de conteúdo de vídeos da Internet optam por aplicar a proteção de conteúdo, que normalmente é um requisito dos proprietários de conteúdo (por exemplo: sets de filmagem ou canais de TV). Para habilitar a reprodução de conteúdo protegido em aplicativos estilo Metro, a Microsoft está disponibilizando o PlayReady Client SDK para serviços de conteúdo premium. O PlayReady oferece suporte a download além de transmissão, e o IIS Smooth Streaming Client SDK mencionado acima é integrado continuamente ao PlayReady Client SDK para permitir que os serviços criem facilmente experiências de transmissão protegidas.

Reconhecemos que existem outras tecnologias de proteção de conteúdo sendo usadas atualmente no setor. Assim como a transmissão adaptável, o modelo de extensibilidade Media Foundation permite que terceiros integrem seus sistemas de proteção de conteúdo personalizados com decodificação de vídeos aceleradas para hardware integrada. Se um serviço precisar usar um formato de transmissão personalizado ou um sistema de proteção de conteúdo, ele poderá integrar sua própria tecnologia sem precisar comprometer a qualidade da decodificação ou o tempo de execução da bateria.

Resumindo, o Windows 8 habilitará uma oferta mais ampla de serviços de proteção de conteúdo para clientes que optarem por/aproveitarem seus dispositivos do Windows 8, fornecendo uma ótima transmissão e experiência de download, além de ótima vida útil de bateria ao assistir conteúdo de vídeo premium em alta definição.

Transições simples de áudio

Já que o Windows 8 possibilita vários cenários de mídia, queríamos garantir que a transição entre esses cenários fosse o mais contínua e fluida possível. Os usuários se deparam frequentemente com atividades baseadas em áudio sobrepostas, por exemplo, enquanto escutam um serviço de transmissão de música, tentam assistir um clipe musical. Queríamos fornecer uma experiência de áudio limpa e organizada que facilitasse e simplificasse o áudio do conteúdo que você quiser, quando você quiser.

No Windows 8, em vez de misturar todo o conteúdo de áudio e enviar o fluxo resultante (na maioria das vezes incoerente) para os alto-falantes, o Windows pode pausar um fluxo quando um segundo fluxo for reproduzido e quando fizer sentido fazer isso. Na maioria dos casos, o Windows prioriza o áudio que saí do aplicativo que está em primeiro plano. Quando você alterna o aplicativo para segundo plano, o sistema silencia o fluxo. Um exemplo é o aplicativo de jogos quando você provavelmente não quer ouvir o áudio do jogo depois que saiu do jogo. No entanto, há casos em que esse não é o comportamento desejado, por exemplo, se você estiver ouvindo música em segundo plano enquanto verifica seus emails ou navega pela web. Para habilitar esses cenários e permitir que você escute o áudio em segundo plano quando fizer sentido, introduzimos tipos de fluxo que refletem o tipo de áudio reproduzido.

Veja abaixo uma lista de diferentes tipos de fluxo, juntamente com um exemplo do tipo de conteúdo esperado por cada fluxo.

Categoria de áudio

Fluxos de exemplo

Segundo plano
possível?

Mídia que aceita ficar em segundo plano

Listas de reprodução de áudio de transmissão e locais

Sim

Mídia que aceita ficar apenas em primeiro plano

Filmes, jogos

Não

Comunicações

Skype, Voice-over-IP, bate-papo em tempo real

Sim

Alertas

Alarmes, notificações com toque

Não

Mídia de jogos

Música em segundo plano reproduzida por um jogo

Não

Efeitos de jogos

Tiros, explosões, conversa entre personagens, sons não relacionados à música

Não

Efeitos sonoros

Sons de confirmação de botões, bipes, campainhas

Não

Outros

Tipo de áudio padrão e recomendado para todas as mídias de áudio que não precisem continuar sendo reproduzidas em segundo plano.

Não

Experiência de mídia em telas adicionais

No Windows 7, anunciamos o Reproduzir em, que você pode usar para transmitir arquivos de mídia para dispositivos externos com suporte do Windows Explorer e do Windows Media player. No Windows 8, o Reproduzir em facilita e simplifica ainda mais o compartilhamento de coleções de mídia pessoais e mídias HTML5 com dispositivos habilitados para Play-To em casa. Nosso objetivo com o Reproduzir em era criar experiências sociais sofisticadas criadas com base em conteúdo pessoal, como compartilhar fotos com familiares e amigos, transmitir músicas para uma festa ou assistir vídeos gerados por usuários na Internet. A experiência foi desenvolvida desde a estaca zero para ser altamente integrada com HTML5 de sites existentes e suas coleções de mídia pessoais se elas estiverem armazenadas na biblioteca local de um PC Windows ou tablet, em outro PC doméstico ou servidor de mídia conectado à rede, ou ainda em um servidor da web na nuvem.

O Reproduzir em agora é mais fácil de ser descoberto e fornecerá uma experiência consistente e de alta qualidade de vários aplicativos estilo Metro. Algumas essas experiências do usuário aprimoradas incluem:

  • Configuração aprimorada: Em redes domésticas (ou HomeGroup) em que você tem autorização para fazer compartilhamentos, os dispositivos Reproduzir em são automaticamente descobertos e instalados no PC.
  • Experiência de dispositivo aprimorada: Os aplicativos estilo Metro funcionam apenas com receptores Reproduzir em certificados pelo Windows. Esses dispositivos são validados para oferecer suporte a formatos de mídia modernos, estão em conformidade com o padrão DLNA e oferecem ótimo desempenho (inclusive o Xbox 360 atualizado disponível ainda este ano). A experiência de desktop introduzida pela primeira vez no Windows 7 foi adicionada ao Explorer Ribbon e continuará oferecendo suporte a todos os dispositivos DMR DLNA.
  • Descoberta mais fácil: O Reproduzir em pode ser acessado do botão Dispositivos, facilitando a inicialização de qualquer aplicativo que ofereça suporte ao Reproduzir em. Basta passar o dedo na borda direita (ou apontar o mouse para a parte superior direita), selecionar o botão Dispositivos e, em seguida, selecionar o dispositivo para o qual deseja enviar o fluxo.
  • Integrado ao IE estilo Metro: O IE permite que você transmita músicas, vídeos e fotos HTML5 da web para seus dispositivos.
  • Funciona com novos aplicativos de música, vídeo e foto: Os aplicativos podem transmitir fotos de uma variedade de recursos, músicas pessoais e coleções de vídeos.

Vídeo em um tablet com painel Dispositivos, reproduzindo o mesmo vídeo em uma segunda tela

Reproduzir em do aplicativo de vídeos

Também nos concentramos muito em facilitar o uso do Reproduzir em pelos desenvolvedores em seus aplicativos e sites: a funcionalidade está disponível para todos os aplicativos estilo Metro por meio do contrato do botão Reproduzir em. O XBox 360 oferecerá suporte ao Reproduzir em em uma atualização ainda este ano.

Funcionalidades de mídia emergentes

O Windows está permitindo o suporte a novos tipos de conteúdo para consumo e flexibilidade cada vez maior para criação e comunicação de conteúdo. 3D estéreo, acessibilidade e efeitos DSP são os três exemplos de como estamos possibilitando ótimas experiências multimídia no Windows 8

Experiência do vídeo 3D estéreo

Nos últimos anos, o mercado de 3D estéreo (S3D) evoluiu de produtos de consumo na moda para concluídos. O S3D fornece uma experiência de visualização em 3D exibindo suas cópias sobrepostas de um vídeo (capturado de ângulos diferentes), que aparecem como um único vídeo em 3D quando visualizados com óculos 3D. Nossa meta é possibilitar um ecossistema S3D viável para o Windows habilitando cenários de reprodução de vídeos e jogos importantes em uma plataforma que abstrai as especificidades da tecnologia 3D do PC do usuário final.

No Windows 8, o suporte S3D está disponível no DirectX 10 ou GPUs posteriores com drivers compatíveis. Uma exibição compatível com S3D é necessária para visualização de conteúdo S3D. Queríamos ter certeza de que o Windows ofereceria suporte a uma ampla variedade de tecnologias de exibição com uma experiência consistente do usuário e facilitar o desenvolvimento de software e hardware na nossa plataforma. Como resultado, tecnologias de exibição em S3D específicas se tornam muito irrelevantes pelos drivers de placa gráfica, e um conjunto consistente de APIs está disponível para aplicativos que usam 3D estéreo.

A plataforma de mídia do Windows 8 fornece suporte a formatos de mídia em conformidade com os padrões de vídeos S3D. O vídeo H.264 com metadados compactados por quadros representados como SEI (Supplemental Enhancement Information) é o formato típico adotado pela descoberta online e é, portanto, o formato de vídeo S3D desejável no Windows 8. Os formatos compactados por quadros aos quais oferecemos suporte originalmente na plataforma incluem disposições lado a lado e superior e inferior, como na ilustração abaixo.

2 imagens exibidas lado a lado e 2 imagens empilhadas verticalmente

O Windows 8 oferece suporte a uma variedade de formatos de entrada 3D estéreo, inclusive lado a lado e superior e inferior.

Fornecimento de experiências de mídia acessíveis na plataforma da web

A acessibilidade de mídia é uma parte importante da promessa do Windows para seus clientes, principalmente para usuários com necessidades de acessibilidade.

As legendas fornecem informações de interpretação ou adicionais para espectadores que preferem uma transcrição escrita, quem precisa de uma tradução para outro idioma ou quem precisa de transcrição devido a limitações de audição.

Imagem de vídeo imóvel com legendas, controles de vídeo e opções de legenda: Desligado / Inglês / Alemão

Reprodução de vídeo no Windows 8 com legendas

A comunidade da web trabalhou em conjunto por meio do W3C para especificar as melhores maneiras de fornecer a experiência de legendas através de plataformas modernas da web. Elas incluem:

  • O elemento <track> pode apresentar legenda e legendas codificadas para marcações de vídeo HTML5. Esse recurso foi incorporado ao Windows 8. O suporte a legendas já está disponível por meio da marcação de vídeo no IE10 e em aplicativos que usam HTML.
  • Os controles de usuário estão disponíveis nos controles de mídia padrão da marcação de vídeo.
  • Há suporte nativo para os formatos WebVTT e SMPTE-TT que normalmente são encontrados na comunidade da web e com parceiros nos setores de TV e transmissão.
  • A plataforma de mídia do Windows 8 fornece suporte para várias faixas de áudio em uma fonte de mídia. Os usuários podem alternar as faixas de áudio para o idioma de sua preferência e as faixas também podem ser usadas para descrições de áudio para usuários com deficiência visual. Os aplicativos estilo Metro agora podem ser alternados facilmente entre faixas de áudio ou, até mesmo, reproduzir várias faixas de áudio simultaneamente, por exemplo, uma faixa de áudio normal com uma descrição de áudio.

Controles de vídeo padrão, além de opções de idioma: Inglês, Hindi, Chinês, Polonês

Reprodução de vídeo no Windows 8 com várias faixas de áudio

Adição de efeitos ao pipeline de mídia

A plataforma de mídia do Windows 8 foi projetada para ser facilmente adaptável. Fizemos isso permitindo que efeitos (normalmente conhecidos como processamento de sinal digital ou DSP) fossem adicionados ao pipeline. Incluímos vários efeitos integrados, como a estabilização da imagem e a rotação horizontal (que é útil na visualização da webcam), e também facilitamos a conexão de aplicativos ao pipeline do Media Foundation com efeitos personalizados. Além disso, nos certificamos de que os dados de mídia possam passar pelo pipeline de forma eficiente, minimizando o desempenho e o impacto de energia da adição de DSPs.

Resumo

A plataforma de mídia do Windows 8 foi projetada para fornecer uma experiência de mídia fluida e com capacidade de resposta, além de ótima vida útil de bateria. Desenvolvemos o Windows para fornecer uma ótima experiência do usuário em um amplo conjunto de cenários, inclusive comunicação por voz, reprodução de áudio e vídeo e conteúdo de transmissão. Conforme os aplicativos de mídia continuam evoluindo, a plataforma de mídia no Windows fará com que essas experiências ganhem destaque em todos os PCs com Windows 8.

Concluirei agora com um vídeo que fala sobre alguns dos destaques da nova plataforma de mídia.

--Scott


Baixe este vídeo para vê-lo no seu media player favorito:
MP4 de alta qualidade | MP4 de qualidade inferior