O sucesso da parceria entre Microsoft e Novell pode ser atribuído a diversos fatores, principalmente ao IP bridge building, ou seja, a relação saudável existente para diversos modelos empresariais e o encontro de um terreno comum com parceiros para a realização de ações integradas.

 

No caso da Novell, a empresa trabalha com um acordo de cooperação de patentes, que regulamenta o método para uma colaboração técnica e de negócios saudável. A parceria com a Microsoft trouxe uma série de inovações técnicas, a implantação do laboratório de Cambridge e tem servido a centenas de clientes. Parcerias bem sucedidas como esta contribuem muito para a comunidade de TI, que necessita melhorar a eficiência operacional em seus data centers, reduzir custos e obter um apoio melhor de seus fornecedores

 

Outra demonstração do espírito de cooperação da Microsoft foi a ação realizada em conjunto com a Linux Foundation, na semana passada. As empresas enviaram uma carta ao American Law Institute manifestando a preocupação de ambas com o projeto de princípios de leis de licenciamento de softwares. O documento contém considerações sobre dois pontos específicos: questionamentos sobre a forma de elaboração destes princípios (aparentemente sem participação opinativa de empresas do setor) e sugestões de parâmetros legais para interpretação de licenciamento de software nos EUA.

 

Para ter mais informações sobre as ações de interoperabilidade da Microsoft, acesse o blog do executivo Brent Phillips, executivo especializado em interoperabilidade da Microsoft: http://blogs.msdn.com/brentphillips/archive/2009/05/19/common-ground-with-oss-is-more-common-than-not-these-days.aspx