No editorial de outubro da newsletter do MSDN, o Caio Garcez comentou sobre o desafio da Microsoft de balancear o atendimento das expectativas de clientes (sejam eles usuários finais ou clientes corporativos) com a necessidade de inovar e quebrar paradigmas. Duas das principais ferramentas que a Microsoft utiliza para atender esse desafio é a pesquisa de satisfação e os canais para feedbacks (ex.: Pesquisa internacional para clientes sobre produtos de servidor e ferramentas - 2013 http://support.microsoft.com/common/survey.aspx?scid=sw%3bpt-br%3b3558) , onde  recentemente finalizamos um ciclo de pesquisas e leitura de feedbacks. Um dos temas pesquisados e que recebeu muitos comentários e feedbacks foi aumento de produtividade com tecnologias e ferramentas Microsoft dentro de um segmento focado na proposta de valor da plataforma Microsoft.

 

Produtividade, com toda certeza, é uma das características que todos os profissionais e empresas procuram melhorar a cada dia, pois se temos uma equipe produtiva significa que teremos grandes chances de diminuir nosso esforço, por consequência menos horas de trabalho, no final teremos produtos com uma margem de lucro maior (lógico, uma análise muito simples para o ciclo ou cadeia produtiva, elementos de qualidade na produção precisam ser considerados). Mas como definir se uma plataforma de tecnologia será ou não produtiva dentro da minha empresa ou para minha carreira como profissional? Tentando responder essa questão, vamos voltar para a definição da palavra Produtividade: Produtividade é a capacidade dos fatores de produção para criar produto. É comum utilizar a expressão "produtividade", associada à produtividade do trabalho, ou seja a quantidade de produto que se obtêm, utilizando uma unidade de fator trabalho. No entanto para calcular a produtividade temos de ter em conta não só o trabalho, mas sim todos os fatores de produção. Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Produtividade

 

Como a própria definição fala, temos que levar em consideração não só o trabalho, mas sim todos os fatores de produção. Então, gostaria de propor alguns fatores para análise e que ajudarão a responder a questão proposta neste editorial: ferramentas (qualidade, controle, testes, etc); capacitação e treinamento; suporte; interoperabilidade e padrões.

 

Ferramentas (qualidade, controle, testes, etc): sob o ponto de vista de desenvolvimento de software, sem dúvida nenhuma estamos falando do Visual Studio, não somente como uma IDE de codificação, mas com uma ferramenta integrada a plataforma Microsoft, integrada com serviços e soluções no servidor que vão além da base de dados (cenário convencional). O Visual Studio é uma ferramenta que, uma vez integrada ao Team Foundation Server e demais soluções da plataforma de aplicações da Microsoft, como o Sharepoint por exemplo, habilitará uma série de benefícios, como criar condições de sucesso na implementação de metodologias ágeis dentro do time de desenvolvimento, seja Kanban, Scrum, Waterfall ou outra metodologia que a empresa tenha adotado, que seja conveniente para o perfil dos desenvolvedores. Na prática, qualquer tipo de atividade ou rotina que exista dentro do time de desenvolvimento baseada no que chamamos de BML (Build-Measure-Learn) será 100% compatível com as ferramentas da Microsoft. Para fechar este tópico, podemos resumir que a proposta de valor do Visual Studio é a entrega, teste e qualidade contínua, que hoje traz integração com softwares como word, powerpoint ou excel, permitindo com que desenvolvedores troquem informação entre o gestor do time ou gerentes de projeto por exemplo, de forma que estes interajam com o projeto, mesmo sem possuírem habilidades comuns em programação. http://www.microsoft.com/visualstudio/ptb/visual-studio-2013.

 

Capacitação e treinamento: este é um dos fatores que a Microsoft mais investe para produtos e tecnologias. Além de todo o material de divulgação que os times de produtos criam e disponibilizam abaixo da estrutura do portal www.microsoft.com (ex.: www.microsoft.com/bigdata), existem os canais oficiais para capacitação e treinamento dedicado ao perfil do profissional ou tecnologia. Gostaria de destacar estes:

·         Microsoft Virtual Academy: http://www.microsoftvirtualacademy.com/. Os profissionais bem-sucedidos nunca param de aprender e a tecnologia nunca para de evoluir. A Microsoft Virtual Academy (ou MVA) oferece capacitação gratuita online realizado por especialistas para ajudar os profissionais de TI a aprender constantemente, com centenas de cursos, em 11 idiomas diferentes.

·         Channe9.com (http://channel9.msdn.com/): este canal tem como objetivo representar as necessidades da comunidade técnica como um canal aberto, agrupando várias fontes de conteúdo como artigos, blogs e vídeos. A maioria do eventos técnicos da Microsoft estão gravados e disponíveis no channel9 (http://channel9.msdn.com/Events)

·         microsoft.com/learning: este é o canal para treinamento e certificação oficiais Microsoft, neste canal você encontrará desde informações de como procurar um centro de treinamento oficial até guias para preparação para as certificações.

·         MSDN (http://msdn.microsoft.com/) e Technet (http://technet.microsoft.com/): dispensam apresentações, estes são os dois principais canais para qualquer desenvolvedor e profissional de TI que utiliza a plataforma Microsoft. Esses dois portais reúnem informações sobre bibliotecas dos produtos, downloads, suporte, fóruns, contato com a comunidade técnica.

 

Suporte: este fator tem um impacto direto na produtividade no momento que precisamos de apoio ou respostas para uma situação que os canais de documentação e treinamento não atende para tal.  O Suporte Microsoft tem por objetivo ajudar você a encontrar a solução de sua dúvida ou problema, é baseado na comunidade e muitas questões estão disponíveis ou podem ser solucionadas rapidamente. Estes são os links que resumem a forma de suporte: MSDN Suporte (http://msdn.microsoft.com/pt-BR/hh361695) TechNet Suporte (http://technet.microsoft.com/pt-BR/ms772425).

 

Interoperabilidade e padrões: este fator está ligado ao ambiente que estamos inseridos, sabemos que o mundo é heterogêneo para utilização de tecnologia e que muitos segmentos são orientados com padrões de indústria e precisamos estar preparados para esses diferentes cenários ao mesmo tempo respeitar os padrões definidos pelos órgãos reguladores. A Microsoft  vem mudando a cada ano e tornando-se uma empresa mais aberta na forma de trabalhar com a indústria e seus clientes, confira as novidades e os projetos ligados a interoperabilidade e padrões da Microsoft em http://www.porta25.com.br/ e http://www.microsoft.com/pt-br/openness/ .

 

Provavelmente exista outros fatores que determinarão a reposta para a questão proposta sobre produtividade, espero que os fatores apresentados acima ajudem a dar esse primeiro passo na sua decisão.

Até o próximo post.